Ruiva de Farmácia » Blog Archive » É velha, mas é boa: Please Forgive Me – Bryan Adams